4 de outubro de 2006

Saudade!!!


Eu disse que tinha saudades tuas… a tua resposta foi "o ser humano é assim"... frio como só tu sabes ser...
Eu digo que vou sentir falta desse curto espaço de tempo durante o qual pude provar o teu gosto, o teu cheiro, teus sentidos.
Mas eu minto!!!
Porque vou sentir falta mesmo de tudo o que nunca seremos.
Saudade do que jamais viveremos juntos, das coisas que jamais experimentaremos.
Saudade de nunca ter ido contigo ao supermercado, de nunca ter disputado pelo sabor do sorvete, pela marca da pasta de dente, pelo rótulo do vinho.
Saudade de nunca ter lido contigo ao meu lado na cama, de nunca ter escolhido contigo o filme que iríamos ver, ou o restaurante no qual jantaríamos e beberíamos depois.
Saudade de nunca me ter sentado contigo no sofá da sala para conversar sobre uma viagem qualquer, de nunca ter acordado a teu lado num sábado de manhã, e me levantado para tomar café na cozinha, e voltado para cama.
Saudade de não ter a chance de ler o jornal de domingo contigo e de depois sair para correr na praia.
Saudade de nunca ter decorado contigo uma casa, de nunca me ter zangado contigo por ciúmes, de nunca ter feito as pazes apaixonadamente na cama, de nunca ter comemorado o nosso aniversário.
Saudade de nunca ter voltado para casa e encontra-te na sala á minha espera, de nunca te ter visto chorar, de nunca ter tido a oportunidade de entender porque tu tens esse...............
Saudade de não te ver envelhecer, de não saber como seriam os nossos filhos, de nunca ter conhecido a tua família ou as pessoas que marcaram e marcam a tua vida.
Saudade de nunca ter tocado no teu rosto em público, de nunca te ter beijado a tua boca em público, de nunca ter tocado o teu cabelo em público.
Saudade de nunca ter passeado contigo de mão dada.
Saudade de nunca te ter ouvido dizer que me amas, de não poder ser quem tu gostarias que eu fosse.
Mas, principalmente, saudade de nunca ter olhado dentro dos teus olhos naquela noite.
Porque teria sido nessa hora, no momento em que meus sentidos e meu corpo faziam o abençoado trabalho de te conduzir, doce e apaixonadamente, ao melhor lugar do mundo, que eu poderia ver muito de perto - a ponto de poder tocar se quisesse – a tua alma!
E assim, quem sabe, me seria dada a preciosa chance de reescrever a nossa história – talvez uma das mais belas histórias de amor jamais escritas - e agora para sempre interrompida.

1 comentário:

Obrigada pelo carinho da tua visita.