13 de fevereiro de 2007

Sentimentos!!!


É muito difícil descrever;
O sentimento que temos...
Quando um certo alguém...
Estilhaça nosso coração.
Com o tijolo da traição!
É muito difícil restaurar,
a dor é inevitável...
Mesmo assim você tenta...
Pois pendurado em seu peito...
Ficou a parte mais importante.
A vontade de viver...
Você começa a juntar,
Aqueles minúsculos caquinhos...
Onde cada pedacinho;
Representa um sentimento;
Então começa a montar;
E com as lágrimas ardentes...
Que rolam de seu rosto...
Você tenta colar...
Porém nunca mais;
Seu coração será o mesmo,
No início, torna-se frágil;
Mas, na medida em que secam suas lágrimas;
O solidifica e o endurece;
O transforma em aço;
Pesado em seu peito,
o único sentimento...
Que nele não permanece;
É o do fracasso...

9 de fevereiro de 2007

Há quem diga...




Há quem diga que todas as noites são de sonhos...
mas há também quem diga nem todas...
só as de Verão.
Mas no fundo isso não tem muita importância,
o que interessa mesmo não são as noites em si...
são os sonhos.
Sonhos que as pessoas sonham sempre...
em todos os lugares, em todas as épocas do ano...
dormindo ou acordados.

(Willian Shakespeare)

Ausência!!!


Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

(Sophia de Mello Breyner Andresen)

1 de fevereiro de 2007

Numa manhã!!!


Uma manhã quando o sol entrou pela janela do meu quarto senti que estou irremediavelmente viva e insanamente apaixonada (por quem???) … o meu espírito de tão enlevado fez que mesmo que tivesse os meus pés assentes no chão, eu pudesse tocar o céu com a minha mão.

Esta noite quando me deitar quero encontrar de olhos fechados tudo aquilo que foge de mim durante o dia...o vento, as ondas, os pássaros, as horas e tu.
De tanto acreditar nos meus sonhos, quero ter alguém com quem conversar, alguém que adore ouvir explicações e andar de pés descalços.

Hoje pela manhã enquanto eu acordava senti, como se todas as minhas vontades, estivessem unidas num único desejo (Qual? Não sei, só sei senti-lo), ao abrir a janela olhei para o céu, e foi como se eu nunca o tivesse visto antes.

Senti com cada célula do meu corpo… que a minha vida não foi um desperdício.

Se todas as minhas manhãs fossem assim eu aceitaria a vida como ela é!!!