25 de maio de 2008

Deleitem-se!!!


Sei que poderá ser repetitivo este texto. Também sei que não foi escrito por mim...longe disso. Mas, como isto é uma manta, aqui colarei este retalho, tão simples e puro, de Antoine Exupéry.
Aprende-se muitas vezes na leitura de uma simples frase mais do que em muitas vidas.
Se assim o é... vamos ler mais um pouco e abreviar as cabeçadas e aproveitar em pleno a nossa vida!
Deleitem-se.

"Andando, o principezinho encontrou um jardim cheio de rosas.
Contemplou-as... e eram todas iguais à sua flor.
E deitado na relva, ele chorou...
E foi então que apareceu a raposa.- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Que quer dizer "cativar" ?
- É uma coisa muito esquecida.
Significa criar laços...
Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos.
Eu não tenho necessidade de ti e tu não tens necessidade de mim.
Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas.
Mas se tu me cativas, teremos necessidade um do outro.
Serás para mim, único no mundo.
E eu serei para ti, única no mundo.
Minha vida será como que cheia de sol.
Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. O teu passo me chamará para fora da toca, como se fosse música.
A gente só conhece bem as coisas que cativou.
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos.
Cada dia te sentarás mais perto...
Se tu vens por exemplo, às quatro da tarde, desde às três, eu começarei a ser feliz.
Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz.
Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!
Assim o principezinho cativou a raposa.
Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar...a gente corre o risco de chorar um pouco, quando se deixou cativar.
acrescentou:
- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua, é a única no mundo.
É simples, o segredo: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
Foi o tempo que perdeste com tua rosa, que fez tua rosa tão importante.
Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.
Tu és responsável pela rosa...
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar...
" Os homens do teu planeta, disse o principezinho, cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim...e nunca encontram o que procuram...E no entanto, o que eles buscam poderia ser achado numa só rosa, ou num pouquinho d'água...
Mas os olhos são cegos.
É preciso buscar com o coração..."

(Antoine De Saint- Exupéry)

2 comentários:

  1. eu não me canso de reler este texto...
    é lindo.

    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.