2 de dezembro de 2008

Um chamado na noite...


Te disse assim - tenho a alma triste.
Como um passarinho sem ninho.
Te disse também que sou terra
e me dissestes que não
que terras sois tu...



e que eu sou nuvem..
de fluidez gasosa...
quiça possa ser eterna!!


Neste domingo que se mostra
radiante...
que surge tímido nos feixes de luz da madrugada...
sejamos os dois eternos!

Mas não estava preparada
para a chamada.
Tudo pensei...
menos no telefone que tocava...
na madrugada!

E, eis que tua voz chegou
no morno silêncio da noite que é bela primavera!


Eu que busco palavras...
movimento...
cor...
som...
de repente, tremenda timidez me assola!


Eu, que tento sair do marasmo,
fugir da saudade,
que quero ser um pouco mais...
ou um pouco menos,
mesmo um detalhe,
um pássaro, sem pouso,
sem ninho, liberto,
pra voar...
voar pelo azul infinito..
calei-me...

Era um chamado na noite....
Eu nao sabia o que dizer!
Nada disse.

Nada fiz.

()



3 comentários:

  1. Minha doce amiga Cris,lendo seu texto fiquei pensando,todos nós temos em nossas vidas momentos saudades,momentos de tristeza.Mais nada que não superamos em nossas vidas minha linda.Hoje,deixarei a você petálas de rosas,para exalar amor,alegria e ternura neste lindo coração.
    Beijos com carinho minha linda

    ResponderEliminar
  2. Olá doce Cristina
    Há momentos assim: O melhor é mesmo não fazer nada, não dizer nada!
    Muito obrigado e boa semana para si também.
    Beijinho
    António

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.