7 de janeiro de 2011

Entre Erros e Acertos




Talvez eu seja realmente uma alma errante,

Ou apenas uma sonhadora,

Que segue seu caminho,

Encontrando pedras,

Mas plantando flores,

Que insiste em acreditar no ser humano,

Mesmo quando ferida,

Faz renascer a ilusão,

E como criança escuta somente o coração,

Talvez eu seja dominada por essa teimosia,

Que me faz levar a palavra amiga,

Ainda que encontre o silêncio como resposta,

Que estende a mão,

Ainda que braços se recolham,

E que olha nos olhos,

Quando os olhares se desviam,

Talvez eu seja apenas uma tola eterna menina,

Que transforma a lagrima sentida,

Em sorriso sincero,

Que ama e deseja ser amada,

Talvez eu seja mesmo uma alma errante,

Que pouco conhece da vida,

E da alma humana,

E sua constante mudança,

Das alegrias que nos causam,

Misturadas as tristezas e decepções,

Mas sigo meu caminho aprendendo e crescendo,

Entre erros e acertos mantenho viva a chama da esperança...



(Patricia Montenegro)