8 de abril de 2015

Após oito anos... nada!!!


Oito anos depois muita coisa mudou... e muita coisa permaneceu inalterada!!!
 
Há sentimentos que não mudam, há rostos que não se esquecem e ficam guardados nos recantos da memória à espera de serem rebuscados.



Os sentimentos são formas estranhas de se estar na vida, não os controlamos... podem ferir-nos de morte ou matar-nos de alegria!!!


Cada um tem de construir as pontes ou as muralhas para de alguma forma se proteger.
" Nem sei bem o que isto é!!!

 

Nem sei bem de onde vem... isto de querer tanto chega a doer!!!

 
Tento esquecer, mas o esquecer é um querer lembrar... é um não conseguir esquecer... é um querer recordar!!!
 
É como se fosse "tu a ficar por não saberes partir... e eu a rezar para que desaparecesses... eu a rezar para que ficasses... e tu a ficares enquanto saías!"
 
Já não sei se é quase pecado o que se deixa... quase pecado o que se ignora!!!
 
Ou se é quase pecado este desencontro!!!
 
Busquei nas palavras o conforto, mas as palavras já não alimentam e não são tão pouco promessas...
 
Gostei de ti enquanto o teu corpo pedia e as minhas mãos ardiam.... mas passamos a não nos tocar enquanto saias, a não nos tocarmos enquanto saiamos.... passamos a não nos tocar e vamos fugindo!!!
 
Só gostava de saber se alguma vez, pensaste em mim.... porque se assim não for..... eu não entendo porque razão não consigo desistir!!!

 

1 comentário:

  1. A este eu respondo com o teu golfinho “Se perder um amor … não se perca! Se o achar ... segure-o! Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais ... é nada.”
    ti voglio, beijo Zé

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.