24 de setembro de 2015

Mágoa que magoa!!!






É uma palavra bonita, mágoa.

Sabe a lágrimas silenciosas, a noites de insónia, a manhãs de domingo solitárias e sem sentido.

Está para lá da tristeza, da saudade, do desejo de lutar pelo que já se perdeu, da raiva de não ter o que mais se queria, da pena de ter deixado fugir um grande amor, por ser demasiado grande.

Primeiro grita-se, barafusta-se, soluça-se em catadupas.

Depois, é o pós-guerra, a rendição, a entrega das armas e as sentenças de um tribunal marcial interior, em que os juízes são a vida, e o réu, o que fizermos dela.

Limpam-se os destroços.

Enterram-se os mortos, tratam-se dos feridos, que são as nossas feridas, feitas de saudades, de desencontros, palavras infelizes e frases insensatas, medos, frustrações e tudo o que não dissemos.

A mágoa chega então, quando o cansaço já não nos deixa sentir mais nada.

É silenciosa e matreira, instala-se sem darmos por ela, aloja-se no coração.

Mas o mundo nunca pára.

Nada pára.

A vida foge, os dias atropelam-se, é preciso continuar a vivê-los, mesmo com dor.


Pelo menos a mágoa mágoa, mas faz-nos sentir vivos!!!



12 comentários:

  1. Esteja eu onde estiver, estarei sempre contigo e, só ficarei triste, como fico triste sempre que vejo uma vida desperdiçada, uma vida em que o caminho do amor não conseguiu cumprir-se. Tem cuidado contigo. Sempre que, à medida que fores crescendo, tiveres vontade de converter as coisas erradas em coisas certas, lembra-te que primeira revolução a fazer é sempre dentro de nós próprios, a primeira e a mais importante. Lutar por uma ideia sem se ter uma ideia de si próprio é um das coisas mais perigosas que se pode fazer.

    Quando te sentires perdida, confusa pensa nas árvores, lembra-te da forma como crescem. E quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que nada te distraia, espera e volta a esperar.
    Fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração.
    Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar.

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faltam-me as palavras para responder. Obrigada.
      Beijinho muito grande

      Eliminar
  2. Venho agradecer sua visita a um dos meus blogues. Gostei do seu e já me registei.
    Virei sempre que possa.
    Bjs. Irene Alves

    ResponderEliminar
  3. Sabes usar soberbamente as palavras. Sabes nos tocar e emocionar com elas...é algo que só pode fazer quem sente profunda e verdadeiramente o que diz.
    Prazer em conhecer-te, e ao teu blog.
    Abraços!
    Bíndi e Ghost

    ResponderEliminar
  4. Lindas palavras sobre a mágoa.
    Adorei o blog.
    Estou lhe seguindo.
    Obrigada pela visita Cristina.
    Bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pelo carinho da tua visita.
      Beijinhos e bom fim de semana

      Eliminar
  5. Olá Cristina
    Também gostei de passar por aqui.
    Porque gostei dos seus textos, das mensagens que eles encerram e da forma como a Cristina se expressa (uma narrativa fluida e agradável de ler).
    Voltarei, por isso.
    Obrigado pela sua visita.
    Tenha uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. Passaste pela minha "casa" e nem um olá! Estavas com pressa, já sei! Compreendo, perfeitamente!
    Eu, e como tenho tempo, agora, resolvi vir visitar-te para tagarelarmos um bocadinho.

    Já tinha lido esta tua "Mágoa que magoa", mas como não tenho tendência pra mágoas, fiquei com vontade de dar-te um "abanão" ou então um abraço pra ver se a mágoa fugia e se tu "acordavas". Decidi calar-me, pke não sei como tu reagirias e cada pessoa é um mundo. Com o tempo, irei conhecendo, razoavelmente, os teus estados de alma, acho eu.

    Vamos rir! Há uma parte, umas linhas na tua prosa poética, k me fazem lembrar as palavras do Marquês de Pombal, Sebastião de Carvalho e Mello, aquando do terramoto de Lisboa, a 01 de Novembro de 1755: enterrem-se os mortos e tratemos dos vivos, disse ele, e tu dizes, exatamente o mesmo, só k estás a referir-te a outro tipo de terramoto, ao sentimental, mas olha k o que se gerou (epicentro) no rio Tejo, portanto um marmoto, foi bem pior.

    Pois é, minha linda: atira-se a louça e o k vier à mão e ao coração ao ar, contra as paredes e sei lá k mais, depois temos de apanhar os cacos e parece que ficamos mais aliviadas, mas é meramente ilusório, pke uns tempos depois, mais terramoto, portanto não vale a pena, esse processo k é desgastante.

    Há poetas e poetisas k sempre escreveram sobre mágoa, dor, infortúnio e se formos saber a biografia deles e delas, está tudo explicado. A infância, os problemas sentimentais, as perdas, as mutações e humilhações dizem-nos tudo sobre a pessoa. A Psicologia raramente falha.

    Acredita Cristina k eu não gostaria de ver-te nesse rol. Evidentemente, k nenhuma vida é um mar de rosas, sempre, mas, daí a dizer k a mágoa, esse sentimento de dor, de sofrimento, é uma palavra "bonita" e k nos faz sentir "vivos", dá k pensar.
    Se escreves desta forma, pke te dá prazer, embora tenhas um vida satisfatória, isso é outra coisa, mas se escreves assim e te sentes bem assim, neste tormento, então, para e reflete, pke ninguém foi gerado e criado para ser infeliz.

    Desculpa este palavreado todo, mas acho-o necessário. Se me disseres k eu ó falo de amor, bem ou mal sucedido, k me ponho nos píncaros, sou meretriz ou escrava do meu hipotético amante, k faço dele gato sapato, isso é teatro, é imaginação, embora uma ou outra vírgula possa coincidir com a minha vida real, mas sinceramente sou feliz e estou para além das mágoas sentimentais.

    Pensa nos hospitais, no IPO, por exemplo, onde homens e mulheres se batem e debatem por mais um dia. Pensa e depois diz-me a k conclusão chegaste.

    Beijinhos e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Céu, obrigada pela tua critica tão assertiva, mas a resposta, quem sabe um dia, pessoalmente gostaria de dar. Quando falas de IPO... sei com conhecimento de causa infelizmente do que falas.

      Beijinho muito grande e boa semana

      Eliminar
  7. Eu, de novo: olhei agora para o título do teu blogue e para a frase k escreveste em baixo e fiquei FELIZ, FELIZ!

    Beijinho.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.