20 de outubro de 2015

Efémero!!!





"Não corra atrás das borboletas; cuide do seu jardim e elas virão até você."


Há coisas tão efémeras!

Uma conversa, um sorriso, uma carta, um ramo de rosas, um copo de vinho, uma mensagem…

O que é agora, não o é daqui o bocado.

Hoje tive essa sensação. São coisas que nos arrancam sorrisos e que nos tocam na alma, mas que no minuto a seguir o medo nos manda esquecer, guardar, passar por cima tão rapidamente quanto possível.

Crescer tem destas coisas.

Quando se acredita, as coisas são eternas.

Quando se deixa de acreditar as mesmas coisas tornam-se efémeras.

Assim como quando se acredita guardam-se recordações no coração, quando se deixa de acreditar guardam-se armas de arremesso.





8 comentários:

  1. Sabes Cristina, eu acho que 99% das coisas são efémeras. O que agora está acontecendo, daqui a 2/3 minutos, já é passado. Estou, inteiramente de acordo com o teu texto.
    Creio que só uma coisa não é efémera: o amor que os pais, sobretudo as mães, têm pelos seus filhos. Esse está sempre atualizado e é eterno.
    E tu que és mãe e já avó compreendes isso melhor que eu.

    Gostei da música, sinceramente.

    Beijos e boa semana.

    PS. agradeço visita e comentário.

    ResponderEliminar
  2. Saudações Cristina! Muito bom! Adorei! Beijos e abraços!

    ResponderEliminar
  3. Olá, Cristina
    Está muito bonito o teu blogue. E quanto a este texto é bem verdade... quando se deixa de acreditar tudo se torna efémero. É a fé e a esperança que nos fazem seguir em frente. Beijinho para ti, parabéns pelo blogue.

    ResponderEliminar
  4. Olá Cristina!
    Vejo que gostas de Fernando Pessoa (e como não gostar...?). Há um poema dele de que me lembro sempre:

    As rosas amo dos jardins de Adónis,
    Essas volucres amo, Lídia, rosas,
    Que em o dia em que nascem,
    Em esse dia morrem.
    A luz para elas é eterna, porque
    Nascem nascido já o Sol, e acabam
    Antes que Apolo deixe
    O seu curso visível.
    Assim façamos nossa vida um dia ,
    Inscientes, Lídia, voluntariamente
    Que há noite antes e após
    O pouco que duramos.
    Para mim, este poema é uma ode ao presente. Façamos nossa vida um dia...um dia de luz, com noite antes e após ele...um dia de cada vez, sem tristezas pelo que já passou, nem preocupações pelo que há de vir. Se conseguirmos fazê-lo voluntariamente...até ficarmos inscientes de que o fazemos, tenho certeza: é a nossa eternidade aqui na terra. Que Adônis nos ajude...!
    Um grande abraço, agradecemos sua visita.
    Bíndi & Ghost

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Grata Bindi pelo poema de Pessoa. Sem duvida uma ode ao presente. Beijinhos

      Eliminar
  5. Não gosto de armas de arremesso.

    Doce beijo e esta é para ti

    https://www.youtube.com/watch?v=JMyScbK9Lgw&list=RDnz50NcwUWPI&index=8

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.