27 de fevereiro de 2015

AFINAL!!!


Às vezes temos sentimentos que ardem. Queimam de tal maneira que pensamos como poderemos ainda estar a respirar!!!

E é aí que, de repente sentimos, que afinal não estamos a respirar! Já nem sequer conseguimos respirar!!!

Às vezes tenho a sensação que deambulo, percorre as ruas vazias da memória. Sento-me nos bancos ausentes da esperança.

Por cima de mim apenas este mar imenso de céu sem estrelas... por cima da mim paira aquela cinza que me saí dos poros... por cima de mim.... por cima de mim afinal não há nada!!!

Mas afinal, por entre nós o que há... por entre nós o que houve.... bolas quem ocupou este pedaço de lugar onde estava o meu corpo... oh, é só um espaço vazio... afinal ninguém lá está!!!

Afinal... afinal é sempre aquele afinal de uma vida meio completa, de uma voz semi despedida, de uma presença semi ausente, de um vulto semi presente e afinal não sobra nada!!!

Quem dera ter em mim um pouco de Narciso... e afogar-me no meu próprio eu!!!

Afinal não foi nos teus olhos que vi a alma, afinal não foi no teu peito que encontrei repouso, mas não foi no teu braço que dormi em paz?

Afinal não foi na tua casa que encontrei refúgio, não foi na tua cama que encontrei conforto e nem foi no teu coração que encontrei lugar!!!

Afinal, afinal foram apenas dois olhares que se cruzaram a procurar um um sol e o outro um luar, em todos os lugares onde a luz se pode cruzar.

Mas afinal já "é muito tempo a desejar o tempo, de mudar ventos, de levantar marés, é muita vida a desejar o alento, que possa fazer saber ao certo quem és...

E tu que sabes tanto de mim, tu que sentes quem eu sou, dá-me o teu corpo como ponte que me salva do que o medo fechou.


25 de fevereiro de 2015

Recomece Sempre!!!



Observe a natureza.

Tudo nela é recomeço.

No lugar da poda

surgem os brotos novos.

Com a água, a planta viceja novamente (renasce).

Nada pára.

A própria terra se veste diferentemente todas as manhãs.

Isso acontece também connosco.

A ferida cicatriza.

A dores desaparecem.

A doença é vencida pela saúde.

A calma vem após o nervosismo.

O descanso restitui as forças.

Recomece.

Anime-se.

Se preciso, faça tudo novamente.

Assim, é a VIDA!

20 de fevereiro de 2015

As palavras têm sabor!!!

As palavras têm cor e sabor como os frutos
e sabem tocar-nos como o sol, a chuva,
o vento ou os punhais
gosto de provar as palavras
sobretudo as escritas
e olhar para elas com ternura, como quem passa
a mão sobre o pêlo sedoso de um gato
claro que prefiro umas a outras,
por serem mais quentes, luminosas,
mais destemidas ou mais azuis,
ou porque me tocam mais fundo
e sabem abrir em mim novas janelas
mas acolho todas por igual, mesmo as mais selvagens
e alinho-as, depois de limpas, como flores
no canteiro do novo poema
e como todas são importantes, não entendo
porque se escrevem palavras com maiúsculas,
como deus ou sol e outras não, como mar, amor ou amora!!!


7 de fevereiro de 2015

ELA!!!




Ela sentia o coração a parar.... perdia o pulso cada vez que respirava fundo!
Tinha perdido tudo desta a ultima vez que tinham estado juntos.

Estava sentada num banco qualquer de uma rua qualquer, as lágrimas corriam descontroladamente e ela nem sequer sentia o frio que se fazia ali fora, afinal o frio que trazia cá dentro era tão imenso....

As memórias acumulavam-se dentro dela, e laivos dos momentos passados eram revistos de sorriso na cara e de dor na alma!

Ela só queria que desta vez fosse a vez.

Fosse a vez de viver e ser feliz com aquela pessoa, que amou de forma segura e sem medos de se ferir.... e feriu-se bem fundo, bem dentro das suas defesas....

Levantou os olhos e parou a pensar como tinha ido ali parar.... sentada naquela banco de jardim, longe de casa!

Mas.... onde era mesmo a sua casa? Onde estava ele? porque é que ele não estava ali? Porque nunca esteve pensou baixinho!

Sentia-se exausta e deixou-se morrer ali, de alma nua, de alma presa...

Só queria ser feliz desta vez....

Ela só queria ser amada desta vez...

Apenas receber na medida que dava.

Só queria amar e ser amada, viver e ser feliz.
Ela perdeu a fé naquela noite, em que sabia que as mãos já não se iriam entrelaçar, o mundo já não conspirava a seu favor e o amor era o maior engano do mundo.