27 de agosto de 2015

Sou-me...sendo!!!


                (Agosto 2015)



Tudo o que amei, amei sozinho.” Edgar Allan Poe

Sou
sem me deixarem ser,
esta profunda dor sentida,
neste escuro lado da vida
onde só há desviver.
Sou
um gesto já perdido
num tempo que perdura,
momento sem ternura
em solidão esquecido
Sou
assim, sofrida e só,
nas ilusões que acalento.
Lágrima solta ao vento,
desta incerteza sem dó.
Sou
um bocado do teu querer,
triste verdade escondida
que se adormece ferida
num regressado nascer.



20 de agosto de 2015

Grata!!!







«Quero ser teu amigo.
Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder,
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar
Sem forçar a tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz...
É bonito ser amigo, mas confesso
É tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...»

(Fernando Pessoa)



18 de agosto de 2015

Ausência!!!




Mais um dia sem Lua!!!

“Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.”

(Sophia de Mello Breyner Andersen) 


17 de agosto de 2015

Odeio-te com um cheiro a Gosto de Ti!!!




Odeio-te por tudo o que me fazes passar.

Por todos os nossos momentos lindos jogados no esquecimento.

Por todo amor que me doaste.

Por todos os falsos “eu te amo” que disseste.

Por todos os planos… todos os nossos projetos de vida que tive de esquecer.

Odeio-te por cada olhar apaixonado, por cada beijo demorado.

Odeio-te a cada instante do meu dia.

Odeio-te todos os dias até o final da minha vida.

Odeio-te de em cada cantinho do meu peito destroçado.

Odeio-te ao te ver.

Odeio-te por continuar amando cada parte do teu corpo.

Odeio-te por continuar amando o teu sorriso pequeno, os teus olhos caídos, ah como odeio esses olhos.

Odeio-te tanto que o coração aperta ao lembrar de ti.

E odeio-te demais pra assumir que prefiro chamar de ódio esse sentimento que deixaste aqui.



13 de agosto de 2015

SEDUZ-ME!!!

Seduz-me com teu olhar
Assim faz me encantar
No encanto está a sedução
Ai se encontra o coração
No meio da decisão
Temos o amor entregue na mão
Seduz-me com teu lindo sorriso
Faz encontrar o meu paraíso
Atira-me um lindo beijo
Porque é esse o meu desejo
Fala-me amor
Tudo fica a nosso favor
Seduz-me com imaginação
Estarei a favor do teu perdão
Porque pecado feito de ilusão
Tem que lutar pela sua paixão
Seduz-me e não me esqueças
Diz meigas palavras
Diz novamente o meu segredo
Fala do meu corpo
Do meu cheiro
Do meu gosto
Do meu falar
Do meu amar
Meu medo
Seduz-me!
Faz-me sentir o amor
Tua paixão
Deixa-me sentir teu coração
Essa doce melodia
Fala rasga-me
Seduz-me todo dia
Mata nosso desejo
Na nossa cama, no nosso leito
Com essa nossa canção
Seduz me como uma poesia
Sente-me perto de ti
Seja noite ou dia
Não me esqueças
Envia-me beijos
Poemas e amor
Envia teu corpo
Mata esta dor da saudade
Para não me sentir só
Não libertes meu amor,
Tem dó.
Seduz-me com muito amor…


12 de agosto de 2015

Coisas do coração!!!





A Alma vai-se abrindo para o mundo sempre que alguém diz que “gosta” ou avança com um “sim”.

Às vezes basta só um “gosto” para que a porta se abra e a alma se espelhe.

Mas esse, tem de vir da pessoa certa para a coisa certa.

Na generalidade não basta um, não bastam dois, não bastam três...

Têm de ser muitos para podermos acreditar.

Ouvir “sins” e “gostos” vicia.

Quando se tem um, quer-se outro e mais outro e assim por diante. Os “sins” mimam, os “gostos” animam e o mimo e o ânimo dão azo ao capricho.

Quando se diz que se gosta ou não gosta é sinal de atenção e todos nós precisamos de atenção. Uns mais do que outros, é um fato.

Mas que precisamos, precisamos e assim, grande parte do nosso tempo é usado para chamar a atenção e ter mimo de quem está ao nosso lado ou ao nosso alcance.

Faz parte do dar, receber assim como faz parte do receber, dar.

Leia-se o que está escrito.

Receber e dar têm de ser recíprocos, não têm de ser na mesma altura.

Há alturas próprias para umas e para outras. Dai o capricho ter sido metido ao barulho. Às vezes queremos demais. Deixar os “gostos” e os “sins” chegarem e entrarem e dá-los de volta na altura certa  é uma ciência exata e exige sabedoria.

Mas é aqui que a porca torce o rabo, porque não é a razão que manda é o coração e só é bem aceite se vier do fundo dele.

A ciência está em saber ler o que vem do coração.

Dai a célebre frase de Antoine de Saint-Exupéry “só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.”

Viver é sentir. Saber viver é aprender a retirar dos sentidos aquilo que nos faz bem e muitas vezes o que nos faz bem é ver e fazer os outros felizes porque são eles também que nos fazem felizes. É o nosso contraponto.

E posso dar voltas e mais voltas e andar em pescadinha de rabo na boca que por mais voltas que se dê, vai-se sempre para ao mesmo lugar.

O coração...

11 de agosto de 2015

Sonhos!!!






Em sonho, tudo o que quero pertence-me. 

Tudo o que desejo é meu, tudo o que exijo, tenho.

Tudo, mas tudo mesmo acontece como previsto e pode ser mudado a meu belo prazer, como peças de xadrez e de acordo com o jogo que é jogado no momento.
Adoro sonhar! Adoro alimentar o sonho e sonhar mais alto.
Pois bem, descobri que um sonho realizado é como um doce dentro de um recipiente de vidro difícil de abrir e que depois da primeira colherada se esborracha no chão, partindo-se em mil bocadinhos diferentes, deixando na boca um trago amargo do que foi experimentado e não teve tempo de ser saboreado.

A digestão, essa fica difícil só de ver o que é bom ali aos nossos pés sem se conseguir aproveitar nadinha e, ainda, ter o trabalho acrescido de limpar os restos feios do que foi bonito e bom.

Diga-se a bem da verdade, que é um sentimento um tanto ou quanto estranho e frustrante. 

Mas há uma cerejinha no topo do bolo, a memória do que se provou.

Bom! Muito bom! 

Mas o que foi já não é mais e o sonho antigo também já não volta.

Assim, resta-nos a substituição por um outro sonho. 

Alias é imperativo e inevitável.

É a unica forma de se conseguir ultrapassar a frustação do anterior.

Que venham todos os sonhos do mundo, porque esses sim, não traem, não se estragam, não se vão embora, não viram as costas.

Respondem, são previsíveis, confiáveis, saboreiam-se o tempo que se quiser, não caem, não se partem em mil pedacinhos.

Neste momento deixei de saber se quero que os meus sonhos se realizem!!!




4 de agosto de 2015

Um Amigo muito especial!!!




Tudo isto parece esquisito e de gente maluca. Pensei muito antes de começar a escrever, mas decididamente, e como em tudo nesta vida, já percebi que não sou, nem nunca serei a única, por isso lá vai mais uma história da minha vida.

Não sei como lhe chamar, nem como descrever sem parecer um bocado tontinha.

Está dentro de mim desde que me conheço como gente. É uma espécie de “amigo imaginário”, com quem partilho a minha vida, nem sempre teve uma cara e uma voz, era indefinida, mas num belo dia assumiu uma e a partir daí nunca mais mudou. Este “amigo,” cheio de personalidade e seguríssimo como o Sol, acompanha-me por todo o lado, em todas as situações, falo com ele a toda a hora e ele fala comigo, quando me olho ao espelho e me vejo feia, tenho-o do meu lado a dizer, que tenho o meu encanto e que gosta de mim como sou, peço-lhe conselhos e mesmo que não lhe peça ele dá-mos, dá-me raspas de meia-noite mas logo de seguida sorri e olha-me com meiguice, zanga-se, buzina-me os ouvidos, mas está sempre do meu lado. Nem sempre é mansinho, até tenho a impressão que é ríspido de mais, bem mais do que a minha própria consciência. Quando ela se quer libertar, tenho-o sempre à perna. Por vezes é tão duro que me faz chorar e ter vontade de o mandar embora, mas no momento a seguir arrependo-me.

Viver com a sua presença é talvez a minha grande segurança, é saber que não estou sozinha, tenho com quem me rir, a quem contar as minhas coisas. Partilhar acima de tudo, porque sempre me apercebi que sem partilhar de nada serve viver. Viver sem ele seria um vazio grande demais.

Durante muitos anos parte deste “amigo” tomou a forma de um Diário outra parte estava dentro de mim e olhava por mim. Mais tarde passou a estar só dentro de mim e só ele sabia tudo, mas tudo mesmo o que se passava e o que não se passava comigo. Um belo dia, aquela cara e aquela voz reapareceram na minha vida terrena e sem eu me aperceber o meu “amigo imaginário” tomou a forma humana. 

Durante um tempo não me apercebi de que isso tinha acontecido, andava feliz. Afinal nada como falar alto, dizer o que queria sem grandes filtros, fazer o que bem me passasse pela cabeça sem temer juízos feios, poder mesmo saltar para fora de pé, com toda a certeza seria salva no segundo a seguir!

O meu “amigo imaginário” tinha passado para o lado de cá, afinal sempre era possível uma amizade destas existir neste mundo.

A minha vida mudou, muito mais segura e de auto estima bem mais elevada o que equivale a dizer muito mais sorridente, muito mais faladora, muito mais alegre, participativa e determinada. Tudo corria sobre rodas.

Até que fui confrontada com uma realidade antiga: Errar é humano!!!

Tudo o que é terreno é assustador, patina, não é na sua totalidade, verdadeiro. O pensado não é definitivamente o que se demonstra, tem implícitas vontades e quereres de outros, sentimentos, medos e inseguranças que estragam o sonho de um entendimento perfeito e sem maldade.

Senti-me traída, não só pelos factos como pelos meus próprios sentimentos e pensamentos. Afinal as coisas não eram como dantes, nem como o esperado, o meu “amigo à seria” não era o mesmíssimo “amigo imaginário”. Tem defeitos, é humano como qualquer outro amigo e é tão meu amigo como outro amigo qualquer cá desta terra. Tem pensamentos e age como todos outros, enfim não me posso atirar para fora pé pois o mais provável é morrer afogada. 

O medo renasceu, o meu sonho tornado realidade morreu, as inseguranças voltaram, a pouca autoestima foi para o espaço. Tomei consciência, assustei-me a valer e sofri como nunca, para além de ter achado que nunca mais na vida teria aquele “meu amigo imaginário” que existia dentro de mim e que me fazia tanta falta.

Em tempo algum deveria ter passado para o terreno aquilo que era meu e só meu. 

Rapidamente me remeti ao meu silêncio, tentando encontrar de novo a minha paz, o meu equilíbrio.


Hoje ele existe de novo, continua com a mesma cara e retomámos o nosso entendimento e quando o de verdade aparece, fico contente mas muito consciente. Um amigo é um amigo outro amigo é outro amigo. Apesar das semelhanças físicas não me voltarei a enganar. Um é incondicional o outro será pelo verso, ou melhor, sei que da minha parte é incondicional, estou-lhe eternamente agradecida pelo facto de me ter emprestado a sua aparência física, vivi com ela toda a minha vida.

A confiança que lhe deposito é total mas por outro lado sei que não será possível esta incondicionalidade para comigo, como um dia acreditei, tão só porque nunca me conheceu em sonho.

Esta é uma historia igual a tantas outras, que hoje, não sei porque razão resolveu sair cá para fora.

Talvez nostalgia, talvez satisfação pelo reencontro ou ainda porque eu gosto demais dos meus amigos e hoje eles fazem-me falta, sejam eles amigos de verdade ou amigos imaginários.


Obrigada

Para ti que desse lado atentamente me ouves
E que passo a passo estás.
Para ti que na sombra me acompanhas,
E que em silêncio me observas
Que sorris quando me espelho,
Que percebes o meu desassossego
Para ti que assistes aos meus gestos
E admiras as minhas palavras
Que nas minhas imagens
Vives a minha nostalgia
Para ti que danças cada musica que oiço
E sentes cada compasso
Que escutas cada nota
Mesmo as que não estão lá
Que sem rosto me amparas
E me abraças no tempo
Que sem passado foste
E sem futuro existes

Para ti, sonho meu
Que na minha fantasia és
E que na tua companhia
me deixas ser... Obrigada!!!