25 de janeiro de 2016

Como Se Eu Fosse...




Aproxima-te… lentamente…com serenidade... como se eu fosse o trajecto que timidamente vens percorrer e o destino que vens conquistar. 

Fica perto… o suficiente para te ouvir respirar, para sentir o teu coração bater, para absorver o calor que se te evapora da pele. 

Contempla-me… como se eu fosse uma peça rara de fino cristal, um quadro valioso de um pintor famoso, uma gota de orvalho, singela, sobre o corpo aveludado de uma rosa. 

Sente-me... como se eu fosse um farrapo delicado de nuvem que esvoaça pelas janelas da tua vida. 

Toca-me... com delicadeza… como se eu fosse um pássaro acabado de nascer e desliza... desde a ponta dos dedos, passa pelas minhas mãos e vai subindo pela minha pele trémula e macia. 

Repousa o teu toque no meu rosto e segura-o… como se fosse o teu bem mais precioso. 

Deixa que a tua boca descubra o mel da minha boca e que os nossos lábios se unam num momento mágico de prazer. 

Permite ao teu nariz deslizar sobre as curvas do meu pescoço alvo e inalar da minha pele o meu aroma quente de mulher, o meu perfume fresco de menina. 

Desnuda o meu corpo frágil e liberta-me de tecidos e pudores e deita-me numa cama feita de amor, com edredons de penas feitos de desejo, lençóis bordados de carinho, almofadas engomadas de mimos.  

Prepara-me um leito onde me sinta protegida, onde me aninhe em ti e me possa perder para me encontrar. 

Solta a tua voz em doces ecos ao meu ouvido, faz-me crer que sou única, que sou diferente, que sou especial. 

Não prometas nada que não possas cumprir, não jures nada que não sintas, não queiras nada que não possas ter… 
não ofereças nada que não tenhas...



Meo Arena 25Jan2016


8 comentários:

  1. Como se eu Fosse...

    Aproxima-te
    Lentamente
    Com serenidade
    Como se eu fosse o trajecto
    Que timidamente vens percorrer
    E o destino que vens conquistar
    Fica perto
    O suficiente para te ouvir respirar
    Para sentir o teu coração bater
    Para absorver o calor
    Que se te evapora da pele
    Contempla-me
    Como se eu fosse
    Uma peça rara
    De fino cristal
    Um quadro valioso
    De um pintor famoso
    Uma gota de orvalho
    Ssingela
    sobre o corpo aveludado
    De uma rosa
    Sente-me
    Como se eu fosse um farrapo
    Delicado
    De nuvem que esvoaça
    Pelas janelas da tua vida
    Toca-me
    Com delicadeza
    Como se eu fosse um pássaro
    Acabado de nascer e desliza
    Desde a ponta dos dedos
    Passa pelas minhas mãos
    E vai subindo pela minha pele
    Trémula e macia
    Repousa o teu toque
    No meu rosto e segura-o
    Como se fosse o teu bem
    Mais precioso
    Deixa que a tua boca
    Descubra o mel da minha boca
    E que os nossos lábios se unam
    Num momento mágico de prazer
    Permite ao teu nariz deslizar
    Sobre as curvas do meu pescoço
    Alvo
    E inalar da minha pele
    O meu aroma quente de mulher
    O meu perfume fresco
    De menina
    Desnuda o meu corpo frágil
    E liberta-me de tecidos e pudores
    E deita-me numa cama feita de amor
    Com edredons de penas
    Feitos de desejo
    Lençóis bordados de carinho
    Almofadas engomadas de mimos.
    Prepara-me um leito
    Onde me sinta protegida
    Onde me aninhe em ti
    E me possa perder para me encontar
    Solta a tua voz
    Eem doces ecos ao meu ouvido
    faz-me crer que sou única
    Que sou diferente
    Que sou especial
    Não prometas nada
    Que não possas cumprir
    Não jures nada
    Que não sintas,
    Não queiras nada
    Que não possas ter
    Não ofereças nada
    Que não tenhas

    Cris: Sê bem vinda ao Mundo dos Poetas...!

    Beijo para um bom dia

    ResponderEliminar
  2. Olá Cris, se me permites,

    Como já sou demais de materialista preferi comentar esta parte:

    "Não prometas nada que não possas cumprir, não jures nada que não sintas, não queiras nada que não possas ter… não ofereças nada que não tenhas..."

    Me faz pensar que antes de qualquer coisa, a relação tem de ter confiança e estas premissas acima ajudam muito a contruir laços afetivo baseados na sinceridade e companheirismo.

    Muito bom.

    O mais difícil, penso eu é não querer aquilo que não se pode ter - queremos sempre mais e só o tempo é capaz de mostrar-nos que não estamos preparados para esta ou aquela situação.

    Abraços :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Zé Miguel!
      Fantástico o teu comentário, percebeste, na perfeição, aquilo que eu queria transmitir.
      Beijinhos.

      Eliminar
  3. Assumo que tenho dificuldade de interpretação quando leio alguns textos mais intimistas ou quando o autor utiliza uma linguagem mais cuidada. A culpa dessa ignorância atribuo ao facto de ter passado mais de metade da minha vida lá prós lados dos países nórdicos, onde mantenho residência. Ainda assim, gosto de vir aqui e apreciar a forma brilhante como brincas com as palavras. Gostava de ter um bocadinho do teu talento, mas estas coisas não se escolhem.

    Quanto música, adorei. Bryan Adams é o maior!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Olá Jorge,

    Cada um brinca com as palavras á sua maneira, tu também tens uma forma original de jogar com elas :)

    Devias te-lo visto ontem no Meo Arena, bom espectáculo.

    Beijinho e dia bom :)

    ResponderEliminar
  5. Uma declaração com destinatário??
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro, declaração talvez mas sem destinatário.
      Beijinhos e dia bom

      Eliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.