17 de fevereiro de 2016

Faz de conta que está tudo bem!!!




Fazemos de conta que está tudo bem, que tudo ficou muito melhor depois, que tudo foi apenas algo que se escondeu, com medo de se perder, com medo de se sofrer!!!

Fechamos a porta da nossa história com a leveza brutal da indiferença, não queremos mais saber o que fomos, se somos, quem seremos agora assim, perdidos!!!

Não adianta fechar os olhos e fingir que não nos vemos, que não nos queremos, que não contamos o tempo ao segundo.

Não sei quem nos fez caminhos paralelos, quem nos fez ventos de norte e de sul, quem nos encheu a alma de quilómetros, quem nos deu asas e nos amarrou ao chão.

Não sei qual de nós falhou, não sei qual de nós desistiu, não sei que muros criamos, que laços rasgamos, que lágrimas deixamos por chorar, que palavras deixamos secar.

Não sei quem foste e quem inventei, não sei de ti agora que não te tenho, não sei de mim agora que não me revejo, não sei de nós... o que será feito de nós?


Agora?

Não sei se é nobreza deixar partir, se é tão cruel amar!!!

Não sei se existe nevoeiro pior que este, em que o beijo se perde no corpo da gente, em que a voz se queima na chuva dos olhos!

Mas eu sei e tu sabes, que a vida quis assim, que nada neste mundo te trouxesse junto a mim.

E agora que o sei bem e que nada mais me faz pensar-te, te digo:



"Amei-te enfim, de um claro amor prestante,
E achei que te amaría além, presente na saudade. 
Amei-te enfim, com tanta liberdade,
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amei-te simplesmente,
De um amor sem mistério e sem virtude,
Com um desejo maciço e permanente.
E de ter te amado assim, tanto e amíude,
É que um dia em teu corpo de repente,
Pensei que haveria de morrer,
Por te ter amado mais do que pude."


"In Vinicius de Morais"


Mas hoje nada mais me dá de ti, esse amor outrora agreste e persistênte, ardeu num fogo fátuo a olhos nus... aos olhos do mundo e de toda a gente...
E por fim morreu!!!





27 comentários:

  1. Oi Cris,
    Sorry a ausência.
    Como sempre li-te e senti-te nas tuas palavras. Palavras que tu manobras com mestria e sentimento.
    Um abraço inteiro á Mulher fantástica que és. Saudades das nossas conversas.
    "Porque o perdão também cansa de perdoar." Vinícius de Moraes e Toquinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhh Zé Miguel, Bruxelas levou-te ;) saudades tuas também.
      Um beijo meu

      Eliminar
  2. Olá Cristina,que texto lindo!
    Um amor,além do limite de amar.
    Bjs e um ótimo dia.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Cristina, enquanto fizerem de conta não encerram a porta da história. Não há volta a dar.
    E sim, às vezes, ou muitas, desistir não é fraqueza.
    O amor não basta para fazer a felicidade.
    Gostei da forma como escreveste!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isabel, tens razão o amor não basta!
      Grata pela visita
      Beijo

      Eliminar
  4. Cristina, a indiferença silenciosa, grave, quase benévola, é a manifestação legítima da morte de toda a crença!;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Legionário :)

      Alexandre Herculano sabia o que dizia! ;)

      Beijo

      Eliminar
  5. A questão é que somos "politicamente correto" e aceitamos que na vida só existe um amor. Por vezes nós dizemos que amamos alguém para sempre, mas o "Sempre" não é sinónimos de eterno. Apaixonamo-nos pela pessoa certa, no momento certo, do jeito certo, mas no dia em que isso deixar de fazer sentido, cada uma deve seguir o seu caminho.

    Beijinho, Cristina

    ResponderEliminar
  6. Tão bela a tua prosa poética em harmonia com o poema do
    nosso grande eterno Poeta Vinícius de Morais.
    As tuas palavras cheias de belas imagens correm pelo
    um passado que ficou presente na memória afetiva...
    Apreciei muito, Cristina!!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. O fim de uma relação?
    Se assim é, se acabou, é porque não tinha que ser.

    ResponderEliminar
  8. Olá Cris,

    Não faças de conta, está tudo bem. Apenas deixa acontecer, abre as portas ao novo.

    Beijo

    "Alguém disse um dia que "a visão, é a arte de ver o invisível". Um dos maiores desafios para o ser humano, é aprender a deixar a vida acontecer, confiando simplesmente no futuro, na magia da existência e tendo a certeza de que ela lhe trará tudo o que necessita para ser feliz. Tudo se resume a simples factos como : O amor, a arte de saber escutar, a simplicidade dos pequenos gestos, a humildade, a honestidade, sempre a verdade e muito sentimento.
    Sentir que se encontra a tal, é um privilégio que nem todos experimentam, mas pode tornar-se acessível a qualquer um que se disponha a mudar a maneira como age, dar sem esperar receber, sem cobrar atenção ou carinho. Dar porque sentimos prazer em ver o outro receber, desfrutando do seu sorriso, da sua presença, do seu abraço, e do seu olhar terno e meigo, que tanto diz. Receber faz parte da partilha e tantas vezes a ânsia desse receber faz perder a beleza deste estado."

    ResponderEliminar
  9. Cris, voltei a ler os teus "ELA", gostava de os ter!

    ResponderEliminar
  10. Ás vezes é preciso perceber que chegou a hora...de mudar de página e escrever uma nova história!
    O que não tinha de ser tem que ficar no passado como aprendizagem e nunca no presente como tortura.
    Beijinho
    www.algunsmomentosmeus.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde, o inicio é o caminho para o fim, o fim é o principio do inicio, a vida roda com acontecimentos inesperados, não vale a pena disfarçar para tentar conservar, assumir é a liberdade da alma que trás uma nova esperança para um inicio feliz mais intenso, assim acontece com todas as pessoas.
    AG

    ResponderEliminar
  12. Não existe culpados quando há entrega incondicional ao amor!
    Lamentar o fim, pra que?
    O importante é a paixão vivida intensamente!
    Gostei, Cristina.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  13. Às vezes temos mesmo de "fingir" que está tudo bem, porque o desejo desse
    convencimento pode ajudar a que nos sintamos melhor. Poderemos lutar entre
    um desespero e uma esperança, e não sabemos qual a parte de nós que triunfará,
    mas nunca devemos sucumbir na saudade.
    Muito boa a relação que fazes entre o teu belo texto e o soberbo poema do Vinicius.
    Parabéns, Cristina, gostei muito.
    xx

    ResponderEliminar
  14. Palavras arrebatadoras, muito intensas. De tal modo que senti, sofri e decidi contigo, mesmo não sendo os meus sentimentos. É assim a escrita quando é bela e saída das entranhas, leva os outros a viajar também, envolvendo-os na história que não é deles :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Belo texto, Cristina! E muito bem pontuado pela citação e pelo vídeo, ambos de excelente escolha; parabéns, muito me agradou o teu blog! Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  16. Oi amiga, desculpe a ausência, aos poucos estou voltando.
    Te ofereço dois presentes, fique à vontade para pegá-los se quiser:
    http://arionetorres.blogspot.com.br/2016/02/o-jardim-da-vida.html

    http://cantinho-dos-baixinhos.blogspot.com.br/2016/02/pinturas-de-criancas-4-

    fevereiro.html

    Tenha uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderEliminar
  17. Boa noite Cris.
    Um amor não pode ser como sol e lua.
    Beleza de inspiração para esta incomoda situação.
    Bom fim de semana amiga.
    Bjs de paz.

    ResponderEliminar
  18. Cristina, devemos ser como uma porta de vai-e-vem, para deixar sair o velho e entrar o novo...
    Adorei sua crônica.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  19. Um texto muito belo a "dialogar" com Vinicius de Morais. É um texto que revela uma grande delicadeza de sentimentos.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  20. Se me é permitido descordar de um comentário em particular, ao contrário do que li eu diria que, havendo amor é o que basta !!!
    Dizer também que sendo pragmático, sou de opinião que não devemos fazer de conta que está tudo bem, se acaso não estiver.
    Faça-se sim algo para que esteja tudo bem.
    Parabéns pelo belíssimo texto.
    É sempre um prazer visitar este espaço.
    Beijo.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo carinho da tua visita.